Excesso de Gordura Abdominal – Seus 4 Maiores Vilões

O excesso de gordura abdominal pode relacionar-se com várias doenças. A barriga é um problema para muita gente e é motivo de insatisfação até mesmo entre aqueles que fazem exercícios físicos diariamente. Porém, mais do que estética, o excesso de gordura abdominal pode estar relacionado à resistência à insulina, diabetes, hipercolesterolemia, doenças cardiovasculares, hipertensão arterial e alguns tipos de câncer, como o de mama, ovário e de endométrio.

De acordo com especialistas, a localização central de gordura visceral é influenciada por vários fatores como: sexo, genética, idade, sedentarismo, fatores hormonais, tabagismo, ingestão alimentar e de bebida alcoólica.

Os homens tendem a ter maior proporção do excesso de gordura abdominal, obesidade androide, e as mulheres tendem a ter maior quantidade de gordura na região glútea, obesidade ginóide. Após a menopausa, as mulheres tendem a aumentar a gordura na região abdominal, elevando o risco de desenvolver doenças cardiovasculares, hipertensão, resistência à insulina e diabetes.

Mas você sabe quais são os responsáveis por esse acúmulo de gordura abdominal? Veja a lista abaixo: 

Excesso de Gordura Abdominal – Bebida alcoólica

excesso de gordura abdominal

Estudos científicos mostram que a ingestão de até 30g de álcool não está associada ao aumento da circunferência abdominal. Entretanto, ingerindo acima de 48 g de álcool há correlação positiva com acúmulo de gordura na região. Portanto, não existe “barriga de cerveja ou chope”, mas existe o aumento da circunferência abdominal pela ingestão excessiva de qualquer tipo de bebida alcoólica, seja ela destilada ou fermentada.

Excesso de Gordura Abdominal – Açúcar branco/ refinado

excesso de gordura abdominal

Quando ingerimos açúcares refinados que apresentam maior índice glicêmico, há elevação da glicose sanguínea, estimulando o pâncreas a liberar insulina. Com o consumo elevado de açúcares, haverá grande quantidade de insulina na corrente sanguínea e armazenamento do excesso na forma de gordura. A liberação cada vez maior de insulina para a corrente sanguínea pode gerar resistência à insulina (a insulina em excesso não funciona bem) e, a longo prazo, diabetes. Exemplo de alimentos que contêm muito açúcar são sucos de caixa, refrigerantes, sobremesas, entre outros. 

 

Excesso de Gordura Abdominal – Cereais refinados 

 

excesso de gordura abdominal

Cereais matinais ricos em açúcares ou a base de milho, arroz branco e macarrão são pobres em fibras, reduzidos em vitaminas e minerais e ricos em açúcares. Assim como o açúcar branco refinado acarretam grande estímulo insulínico ocorrendo elevação da glicose sanguínea, estimulando o pâncreas a liberar insulina. Quando consumidos em grande quantidade e não há equilíbrio entre ingestão e gasto energético através da prática esportiva, são estocados na forma de gordura no tecido adiposo. Por isto é importante sabermos preparar boas receitas para diabéticos.

Aproveite para conhecer algumas destas receitas especiais para diabéticos.

Excesso de Gordura Abdominal – Gordura Trans

 excesso de gordura abdominal

Resulta do processo natural de bio-hidrogenação ou do processo industrial de hidrogenação parcial ou total de óleos vegetais. A principal fonte de gordura trans na dieta é a gordura vegetal hidrogenada (por exemplo, a margarina) utilizada industrialmente na produção de biscoitos, bolachas recheadas, empanados, comida congelada, sorvetes cremosos, tortas e alimentos “fast-food”.

O principal efeito metabólico dos ácidos graxos trans em relação às doenças cardiovasculares é a elevação do colesterol total e a lipoproteína de baixa densidade (LDL) e redução da lipoproteína de alta densidade (HDL). Observa-se também a elevação dos triglicerídeos plasmáticos e prejuízo da sensibilidade à insulina.

De acordo com a legislação no Brasil, a ingestão de gordura trans deve ser inferior a 1% do valor energético diário, e a OMS preconiza sua exclusão nos alimentos industrializados. É obrigatória a notificação da gordura trans na rotulagem de produtos.

Veja as dicas  para prevenir e reduzir acúmulo de gordura abdominal:

– Controle o peso
– Pratique exercícios físicos (pelo menos 150 minutos por semana)
– Evite alimentos com alto índice glicêmico
– Tenha um estilo de vida ativo
– Abandone o tabagismo
– Evite ou diminua a ingestão de bebida alcoólica
– Modifique hábitos alimentares, aumentando o consumo de alimentos integrais; ingerindo cinco porções diárias de frutas , verduras e legumes; reduzindo o tamanho das porções; evitando frituras e alimentos cremosos; reduzindo o consumo de açúcares; variando a alimentação e montando pratos coloridos; dividindo o prato em ½ hortaliças A e B (verdura e legumes) + ¼ proteína magra + ¼ cereais ou hortaliça C.

Espero que estas informações tenham te sido úteis. Até o próximo post…

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *